Fique calmo e escreva um bom texto!

Como bem foi colocado em uma das questões do Enem, se o Twitter serviu pra alguma coisa, foi pra exercitar a concisão das pessoas. As ensinou direitinho como ir direto ao ponto e já era hora. Gosto muito de ler textos e livros que forçam meus neurônios a interpretar, mas não há nada mais delicioso do que um texto simples, não pobre de vocabulário ou livre de rebuscamentos, mas que seja limpo, claro, convidativo. Nesse aspecto, ao se tratar de textos artísticos, compartilho da opinião de Chaplin, afirmando que “o assunto mais importante do mundo pode ser simplificado até ao ponto em que todos possam apreciá-lo e compreendê-lo. Isso é – ou deveria ser – a mais elevada forma de arte.”.

Salvo textos complexos porém bem escritos, há alguns que até poderiam ser bons, pois suas intenções são sinceras e inovadoras, não fosse seu caráter exagerado que confere ar de superficialidade ao tema desenvolvido.

Não polua seus textos com informações demais, isso o torna chato, soa mesquinho, o torna cansativo. RESPIRE! Use pontos finais, separe suas ideias diferentes em parágrafos, não seja afobado, jogando todo o conteúdo do seu texto todo de uma vez. Faça com que o leitor se interesse, fique preso ao que você está dizendo, dando as dicas, destrinchando duas ideias devagar. Nada mais chato do que texto vomitado nos dois primeiros parágrafos e que se estende por mais dois, pra continuar falando de coisas que ninguém teve paciência, interesse e curiosidade de ler no começo! #MomentoFicaaDica