#Resenha: Auggie & Eu – R.J. Palacio

Olá, pessoas!

Vim aqui hoje para falar sobre alguns livros que li esse mês! Li Extraordinário, da R.J. Palacio, e amei tanto que, assim que terminei, fiz uma resenha dele aqui no blog por que eu simplesmente precisava falar sobre esse livro com alguém. Após ler Extraordinário, fiquei louca para ler O Capítulo do Julian, Shingaling e Plutão, os demais livros da R.J. Palacio que mostram o ponto de vista de outros personagens de Extraordinário sobre o August Pullman. Auggie & Eu reúne em Volume Único as três estórias, que também podem ser encontradas separadamente.

Vamos lá às impressões que tive! Sabe quando um autor lança um livro muito bom e a continuação te deixa frustrado? Pois é, você se sente lendo uma continuação que quer apenas ganhar dinheiro em cima do sucesso da primeira! Shingaling e Plutão, talvez agradem ao público infanto juvenil, que ainda não tem muito senso crítico, mas achei que foram continuações um tanto forçadas. O primeiro, conta a história da Charlotte, a garota que participou da comissão de boas vindas ao August na escola, e revela sua paixão pela dança e suas inseguranças. Tem alguns pontos legais, como a preocupação dela quando um artista de rua deficiente visual que ela sempre via se apresentar no caminho da escola desaparece de repente e também as explanações dela sobre a amizade, sobre se encaixar e ser uma pessoa legal. No entanto, o livro não apresenta nenhum acontecimento memorável, que o torne marcante. Já o segundo, Plutão, conta a história de Christopher, o primeiro e melhor amigo de August. O livro mostra a infância de August como um garoto diferente e a visão do melhor amigo sobre as demais crianças que preferem não se aproximar dele por conta de sua aparência. No mais, o livro também não apresenta nada muito marcante.

O Capítulo do Julian é muito bom! Vai revelar o amadurecimento de Julian, o garoto que era responsável pelas brincadeiras de muito mal gosto contra August na escola, e como ele irá reverter suas más ações. Suspenso por duas semanas por praticar bullying, quando volta à escola sente-se enciumado por perceber que o Auggie está se saindo bem e fez alguns amigos. Iremos perceber que Julian é um garoto que tem um padrão de vida alto, cujos pais são arrogantes e que ele é espelho das atitudes que presencia em casa, acreditando que o mundo gira em torno de si e sendo mimado. Mas quando Julian precisa passar as férias na casa da avó judia na França e fica sabendo que ela fugiu dos nazistas na 1ª Guerra Mundial, os detalhes da aventura de sua avó paterna irão fazer com que ele tenha faça algumas reflexões. Vale muito a pena!

#Resenha: Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática

GENTE! PELO AMOR DE GETÚLIO!¹

Hoje vim aqui falar com vocês sobre um livro muuuuito legal para ler depois de uma ressaca literária! É o último livro da Thalita Rebouças: Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática. Para quem não conhece a Thalita Rebouças, ela é uma escritora brasileira, talvez mais aclamada da atualidade entre os teens, e ficou conhecida pelos livros da série Fala Sério!. Resolvi dar uma chance para ela com esse título e amei o livro.

Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática é um livro infanto juvenil muito engraçado, a começar pelo nome,  cheio de gírias da geração Y, com uma linguagem fácil e uma escrita que prende. É também uma ótima sugestão de presente para dar para adolescentes dos 12 anos em diante e começar a incentivar a leitura. Como pontos negativos, no entanto, o livro traz alguns personagens um tanto caricatos, que não convencem tanto, como o personagem Zeca, melhor amigo da protagonista que usa muito jargões gays.

Páginas: 253 páginas / Editora: Editora Arqueiro Clique na imagem para ler o primeiro capítulo do livro no site da Amazon.

O livro é o diário de uma adolescente de quinze anos, a Tetê – o nome por traz desse apelido vai te arrancar muitas risadas! – que vai morar em um apartamento no Rio de Janeiro com seus pais, seus avós maternos e seu bisavô, depois que seu pai fica desempregado. Vivendo apenas com o salário de sua mãe, a família precisa vender o apartamento na Barra da Tijuca até que a situação financeira se estabilize. O problema é que, além de Tetê precisar dividir o quarto com seu bisavô no novo apartamento, ela é muito tímida e está morrendo de medo de não fazer amigos na escola na nova e sofrer bullying novamente. Sua mãe, inclusive, agenda uma consulta com um psiquiatra para ela, pois acredita que a filha não é normal: não tem amigos, não sai, não arruma namorado. A única coisa da qual Tetê gosta é de cozinhar, o que a faz ficar acima do peso! Porém, após o primeiro dia de aula na escola nova, algumas coisas começam a mudar na vida de Tetê e a gente acompanha tudo de camarote!

¹ Expressão usada pelo Zeca, personagem do livro.