#Resenha: Passarinha – Kathryn Erskine

Boa tarde, pessoas!

Hoje vim aqui falar sobre um livro que muita gente falou bem: Passarinha, da escritora Kathryn Erskine. Esse livro é muito emocionante e provavelmente único, pois a narradora, Caitlin, é uma menina de 10 anos portadora da Síndrome de Asperger. Para quem não conhece a síndrome, ela é um estado do espectro autista que afeta a capacidade de se socializar e de se comunicar com eficiência. Algumas das características que as pessoas que têm Asperger apresentam são dificuldade para interpretar sinais sociais, expressões faciais, manter conversas, olhar nos olhos, gerir suas emoções, apresentar empatia, entre outras.

Caitlin é uma menina muito inteligente que está na quinta série, mas lê livros de adultos e desenha impecavelmente. Porém, devido à Síndrome de Asperger, ela não é muito boa em interpretar expressões faciais e, como não sabe por que as pessoas estão se comportando de determinada maneira, nunca conseguiu ter um amigo na escola. Ela parece estranha e as demais crianças não conseguem entendê-la. E tudo fica mais difícil quando seu irmão mais velho, Devon, morre tragicamente. Era ele quem dizia a ela como agir e que a fazia se sentir segura. Seu pai, sem saber como lidar com o próprio luto, não sabe como ajudá-la agora que ela não tem nenhum apoio além de sua terapeuta na escola.

Com a ajuda de sua terapeuta, a Sra. Brook, Caitlin vai amadurecendo a aprendendo algumas habilidades sociais enquanto nós, leitores, conseguimos ter uma leve ideia de como funciona o cérebro de uma pessoa portadora da Síndrome de Asperger. Percebemos, por exemplo, que Caitlin não tem muitos filtros na hora de falar o que pensa, sendo sincera demais, que tem dificuldade em conter as emoções e também que tem algumas manias como chupar a manga da blusa e não usar cores ao desenhar.  O livro é recheado de sentimentos, rico em detalhes e encantador. A autora é brilhante em abordar temas tão delicados quanto o autismo e o luto, e muito embora o livro não seja fácil, há algumas situações muito engraçadas. O bonito no livro é ver como mesmo com tantas dificuldade, Caitlin trabalha em um desfecho para superar a morte de seu irmão e ajudar seu pai.

E você, já leu um livro diferente e sensível como Passarinha? Deixe seu comentário!

Written by

Blogueira desde 2011, escreve sobre dores, amores e livros. Paulistana e mãe de 3 gatos deseja compartilhar suas paixões nesse blog.

Deixe uma resposta