Rascunhos de uma rabugice imensa que você, leitor, não precisa ler…

O peso que sai de cima dos ombros na véspera de um feriado em que vamos dormir até as tantas da tarde ou acordar cedo para viver as nossas vidas como se as pretensões alheias não importassem. O aperto que sai do coração quando decidimos não mais nos importar com aquilo que nos arranca a energia. A vida que vivemos aos finais de semana e a vida que empurramos com a barriga 80% dos dias.

É viver como se não houvesse amanhã e viver sem esquecer do amanhã. É viver a morte diária de levar uma vida ingrata todos os dias para poder viver dias de gratidão. É estar preso no trânsito quase infernal das avenidas e ouvir esperanças tocando no rádio, fazendo florescer imagens que mais se parecem com saudades do que estamos buscando tempo para viver.

É aguentar um mundo de machismo, sexismo, falta de senso de humor, misoginia e hipocrisia. É perceber que mulheres que falam abertamente de sexo são chamadas de vulgares, enquanto os homens que falam as mesmas coisas estão apenas tendo uma “conversa de homens”. É ver homossexuais ganhando uma etiqueta social de doentes e pedófilos, enquanto os mesmos “homens de Deus” que fazem sermões nas igrejas, e defensores da moral e bons costumes, promovem a discriminação e inflamam ignorantes com suas verdades estúpidas. É viver em um mundo dominado pela hipocrisia e pelas aparências, e esperar a hora de cagar para exercer o livre direito de ser você mesmo. É como não fazer parte do mundo, discordar de padrões doentios e valores completamente invertidos. É sentir nojo de mães que colocam seus filhos no mundo, os jogam nas latas de lixo, e córregos de esgotos, e ser obrigado a ouvir quem critique a necessidade da descriminalização do aborto. É querer cuspir no senso-comum, e atirar pedras na sociedade.

É viver alguns dias no inferno e esperar mais alguns para tomar uns porres e ter uma pequena dimensão do paraíso.

Written by

Blogueira desde 2011, escreve sobre dores, amores e livros. Paulistana e mãe de 3 gatos deseja compartilhar suas paixões nesse blog.

Deixe uma resposta